Mortalidade

Em cenário pessimista, estudo aponta que Piauí poderá ter mais de 30 mil mortes pela Covid-19

O prefeito de Teresina, Firmino Filho (PSDB), também comentou nesta quarta-feira (2) estimativas que são projetadas para caso o isolamento social não seja respeitado pela população.

02/04/2020 13h27
Por: Tâmara
Fonte: G1
10
Foto: Antara Foto/Muhammad Adimaja via REUTERS
Foto: Antara Foto/Muhammad Adimaja via REUTERS

Estudos desenvolvidos pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e a Fundação Oswaldo Cruz, para estimar o impacto da Covid-19 na mortalidade no Brasil, e utilizados como base de dados para o governo do estado mostram que, em um cenário mais pessimista, o Piauí pode chegar a ter mais de 33 mil óbitos pelo novo coronavírus, se o isolamento social não for respeitado pela população.

O prefeito Firmino Filho (PSDB), de Teresina, também comentou na tarde desta quinta-feira (2) durante uma coletiva de imprensa por videoconferência, as estimativas do número de mortes que o estado pode vir a ter.

Esta pesquisa utilizada como base para decisões do Governo do Piauí contou com a participação da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e a Fundação Oswaldo Cruz, em Minas Gerais. Vale lembrar que os números são projeções e que podem vir a mudar para mais ou menos. As projeções levam em conta o fato de a população ter um maior ou menor índice de isolamento social.

Segundo o estudo, o número de pessoas mortas no Piauí, levando em consideração a aplicação da taxa de letalidade registrada na Itália, bastante alta, e a taxa de infecção de 50% da população, é de até 33,22 mil mortes em decorrência da Covid-19. Tendo a mesma taxa de letalidade, mas com a infecção de 25% dos piauienses, haveria 16,6 mil mortes.

Já se levar em conta a aplicação da taxa de letalidade registrada na China, uma das menores do mundo, e a taxa de infecção de 50% na população, o Piauí poderá ter 19,48 mil óbitos. Se 25% dos piauienses forem infectados nessas condições, as mortes são de 9,74 mil pessoas.

Estimativa da Prefeitura de Teresina

Em outro cenário, apresentado hoje pelo prefeito Firmino Filho (PSDB), além das mortes, o estado pode chegar a ter 90 mil internações. "Lutamos com um exército invisível, não sabemos quem está doente, a cada vez que nos aproximamos, fortalecemos esse exército, que é o coronavírus. E as consequências são essas dos dados, um cenário tenebroso", declarou.

Em um dos melhores cenários, segundo o prefeito, 700 pessoas podem morrer no Piauí, com mais de 3,5 mil pessoas precisando de internações no estado. "Falo do Piauí, embora seja prefeito de Teresina, porque nossa capital concentra cerca de 90% dos sistemas hospitalares que serão utilizados para receber esses pacientes, então precisamos saber com o que estamos lidando", declarou.

Durante a coletiva de imprensa, foi destacado também que o isolamento social já reduziu 7% na última semana na capital. A estimativa se baseia em dados de um aplicativo que monitora o GPS de celulares de habitantes da capital.

De acordo com o boletim divulgado nesta quarta-feira (1°) pela Fundação Municipal de Saúde (FMS), Teresina possui dois óbitos pelo novo coronavírus, 17 casos confirmados e 202 casos ainda em investigação.