13º Salário

Em crise, 58 municípios do Piauí não pagaram 13º salário aos servidores

Segundo a Confederação Nacional de Municípios (CNM), as prefeituras em atraso dependem de receitas extras para efetuar o pagamento, como o Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

22/12/2019 22h16Atualizado há 2 semanas
Por: Tâmara
Fonte: G1
998
Foto: CNM/Divulgação
Foto: CNM/Divulgação

Sem recursos, 58 prefeituras do Piauí ainda não pagaram o 13º salário dos servidores. O prazo legal para que as empresas privadas e o poder público efetuassem o depósito encerrou na sexta-feira (20). O atraso atinge 26% dos 224 cidades.

Os municípios estão com dificuldade desde o início do ano. Segundo a Confederação Nacional de Municípios (CNM), as prefeituras em atraso dependem de receitas extras para efetuar o pagamento, como o Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

Conforme a pesquisa do CNM, alguns municípios para não ocorrer atraso da folha de pagamentos do pessoal optaram por postergar os pagamentos de fornecedores. Outras medidas também foram adotadas como redução do quadro de pessoal e corte nos gastos de custeio.

De acordo com o questionário enviado as prefeituras do Piauí, 108 das 112 entrevistas responderam que o 1% de aumento no Fundo de Participação dos Municípios ajudaria no pagamento do 13º salário. Dessas, 95 cidades não estavam com o salário do funcionalismo municipal em dia e 72 estão com atraso no pagamento de fornecedores.

Para se adequar a crise, 88 das prefeituras entrevistas reduziram despesas de custeio, 62 reduziram o quadro de funcionários, 55 reduziram os cargos comissionados, 37 desativaram veículos, 28 desativaram equipamentos, 16 alteraram o horário de expediente dos órgãos municipais, 10 reduziram os salários dos prefeitos e vereadores e 9 suspenderam serviços, como a coleta de lixo.

A Associação Piauiense de Municípios (APPM) não se posicionou sobre atraso no pagamento do 13º salário pelas prefeituras.