Paralisação

Sintetro decide suspender paralisação dos ônibus em Teresina

Nesta terça-feira (28),o presidente do Sindicato gravou um vídeo convocando os motoristas e cobradores para trabalharem normalmente hoje.

28/04/2020 17h50
Por: Tâmara
Fonte: Cidade Verde
34
Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com
Foto: Roberta Aline/Cidadeverde.com

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transportes Rodoviários do Piauí (Sintetro), Fernando Feijão, confirma que a diretoria da entidade decidiu suspender a paralisação do transporte coletivo em Teresina. Ontem (27) a categoria decidiu cruzar os braços e parou 100% dos ônibus na capital. 

O movimento paredista aconteceu em protesto contra possíveis demissões em massa dos trabalhadores. Nesta terça-feira (28),o presidente do Sindicato gravou um vídeo convocando os motoristas e cobradores para trabalharem normalmente hoje.

“Após reunião da diretoria, nós decidimos por suspender a paralisação, e recomendar que todos retornem aos seus postos de trabalho”, disse Feijão. 

O presidente do Sindicato afirma, ainda, que as empresas estão adotando a Medida Provisória 936, do governo Federal, que possibilita reduzir jornada de trabalho e salário, por até 90 dias; ou a suspensão do contrato de trabalho, por até 60 dias. Ele explica que o corpo jurídico do sindicato analisou os acordos, que serão individuais, e confirmou que “nos termos que se encontra, não há renuncia de nada”.

“As empresas farão acordo individual, mas, independentemente da modalidade de acordo, o que Sintetro nunca concordou foi com a retirada de direitos. Hoje algumas empresas já começaram a pedir que os trabalhadores assinassem este acordo, mas nós queríamos que ele fosse o mais claro e expresso possível. Mas, depois de análise do corpo jurídico e entendimento do MPT, entendemos também que neste acordo individual, nos termos que se encontra, não há renuncia de nada. A empresa continuará obrigada a cumprir os termos da MP 936”, disse. 

O Sintetro reconhece que  ticket alimentação e o plano de saúde são conquistas históricas da categoria, mas, neste momento de crise, afirma que a prioridade é a garantia de pagamento aos trabalhadores.

“ A luta continua. Já temos ações ajuizadas buscando o pagamento do saldo de março e das férias em atraso. Estamos fazendo denúncia quanto às demissões e vamos acionar todos os órgãos possíveis. Vocês não são obrigados a assinarem acordos de parcelamento de rescisão. Nenhum documento vai impedir de o sindicato continuar buscando os direitos da categoria, por todos os meios possíveis”, garante Fernando Feijão.

O Sindicato reafirma que desde as primeiras horas desta terça-feira os ônibus estão circulando normalmente, dentro do que estabelece os decretos para evitar a disseminação do coronavírus em Teresina.

O Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros de Teresina (SETUT) informa que não houve acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Empresa de Transportes Rodoviários do Piauí. 

O SETUT esclarece que as empresas estão aderindo à Medida Provisória 936 que permite o empregador acordar com o funcionário por meio de negociações individuais e conforme suas necessidades. "O retorno às atividades evidencia, mais uma vez, como o Sintetro parou o sistema de transporte público de forma unilateral, sem nenhuma justificativa plausível. Por isso mesmo, nesta terça-feira (28), os motoristas e cobradores retornaram ao trabalho sem que houvesse qualquer reunião ou acordo com o SETUT", diz nota.