TV

Regina Duarte provoca a ira da classe artística, de Anitta a Lulu Santos

Ao defender a ditadura e minimizar a tortura, a ex-namoradinha do Brasil perdeu a pouca simpatia que restava por ela entre os próprios colegas de profissão

08/05/2020 13h01
Por: Portal suldopiaui.com.br
Fonte: Veja
763

Pegou mal, muito mal, a vexatória entrevista dada por Regina Duarte na quinta-feira, 8, ao canal CNN Brasil. O reinado da Rainha da Sucata à frente da Secretaria Nacional da Cultura já não ia bem. Eleita para ocupar o cargo após a demissão de seu antecessor, Roberto Alvim, que fez um vídeo com alusão ao nazismo, a atriz e fiel partidária de Jair Bolsonaro se mostrou omissa ao defender a própria classe em tempos de crise. E, agora, mostrou que o fundo do poço da sua micada gestão (?) à frente da secretaria não tem fundo. Ao defender a Ditadura Militar, minimizar a tortura e mortes, e reagir  de forma desproporcional a um vídeo de Maitê Proença — que respondeu, depois, aos excessos da secretária — Regina conseguiu provocar reações de repúdio das mais variadas personalidades da cultura. 

Anitta, que raramente se pronuncia sobre política, foi ao perfil da atriz e fez um “textão” elegante, pedindo por uma postura diferente da secretária. “Uma pessoa que aceita assumir a secretaria de cultura está aceitando trabalhar para o povo, isso significaria escutar TAMBÉM os lados que pensam diferente da senhora e colocar sua posição sobre a questão. Se recusar a ouvir uma opinião contrária logo depois de enaltecer os tempos de ditadura me causa muito medo. Até porque eu e muitos dos meus amigos seríamos os primeiros censurados caso esse regime voltasse ao Brasil. Governar apenas para os que te causam afeição não é governar para o povo. Não seria mais inteligente responder com calma e sabedoria o que tem sido feito pela classe cultural em virtude dos acontecimentos da Covid-19? E as famílias que perderam parentes com a doença? Como se sentiriam ouvindo um depoimento de quem faz pouco caso do momento? Onde está a empatia? Meu intuito aqui não é insultar e sim questionar.”

Já Bruno Gagliasso, contumaz crítico do governo Bolsonaro, reforçou o movimento de repúdio às falas da atriz. “Não dá pra desculpar o seu deboche com torturados pelo Estado, sua naturalização da da barbárie. Não dá pra desculpar seu silêncio, sua falta de projetos, a forma como você trata os trabalhadores do audiovisual brasileiro. Não dá pra desculpar a preferência que a senhora tem por  ditadores, genocidas, irresponsáveis, gente sem compromisso com a verdade e com a vida.”

Como Anitta, a atriz Alice Wegmann também usou o espaço de comentários do perfil da própria Regina para fazer sua declaração. “Não anule todo o seu talento, Regina. Tudo o que fez de bom pro nosso país tempos atrás vai ser esquecido por essas declarações que a senhora está dando. É uma pena. Sinto uma tristeza imensa. Espero que, se ainda restar algo de bom dentro da senhora, que ajude a classe que já pertenceu algum dia.”

Em uma publicação feita pela atriz Débora Bloch, mostrando trecho do vídeo da entrevista, celebridades fizeram comentários de repúdio às falas da secretária. Entre eles Alessandra Negrini, Bárbara Paz, Dira Paes e os estilistas Alexandre Herchcovitch e Ronaldo Fraga.